6 de setembro de 2015

Retalhos.

Retalhos.

Retalhos de um poeta cansado,
Que nas noites de boêmia se perdeu,
Aos goles de cachaças,
O seu corpo desfaleceu,
Retalhos são apenas retalhos,
Praticamente na decadência,
Caído pelo surjo chão,
Retalhos de um poeta cansado,
E a eterna dor do seu coração.


Edriano da Maloca
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

------

---